Setor madeireiro quer melhorar processos de gestão e garantir qualidade no produto

Setor madeireiro quer melhorar processos de gestão e garantir qualidade no produto 

O Sindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e Tanoarias de Lages (Sindimadeira), promoveu o 1º Workshop da Madeira. O encontro ocorreu no mês de maio, na sede da Associação de Sindicatos Filiados à Fiesc, em Lages e reuniu empresários e profissionais ligados ao setor para discutirem a qualidade do processo e do produto. 

A coordenadora do Laboratório de Tecnologia da Madeira e Mobiliário do SENAI/SC, Sandra Fürst, tratou sobre normas, inovações e soluções da madeira. Com mais de 16 anos de experiência em ensaios em móveis e madeiras, gestão da qualidade, normas técnicas nacionais e internacionais, a especialista salienta que já foram feitos importantes avanços no setor, mas que ainda há muito o que se trabalhar em relação a especificação dos produtos e monitoramento da qualidade. “O processo produtivo da madeira envolve muitas etapas e, é preciso que se tenha um controle rigoroso de todas para evitar que os problemas só sejam percebidos quando o produto já está pronto na indústria, no container para exportação ou até mesmo na casa do cliente”. 

A Fiesc têm várias iniciativas que auxiliam os empresários. O Senai, por meio do laboratório de Tecnologia da Madeira e do Mobiliário consegue auxiliar as indústrias fazendo ensaios nos insumos e também nos produtos acabados, justamente para identificar possíveis oportunidades de melhorias, adequações ou então para resolver problemas pontuais do seguimento. 

Sandra explica que na prática a indústria tem uma demanda já existente ou deseja entender se aquele determinado produto atende uma norma técnica específica exigida por algum cliente. “O cliente envia amostra para o laboratório, nós realizamos todos os ensaios aplicáveis. O resultado disso é um relatório de ensaio onde vai constar todo o detalhamento dessa análise realizada que dirá quais especificações o produto atende. Com esse documento o fabricante pode adequar o produto caso seja necessário”. 

Lean Manufacturing busca aumento da produtividade e redução de desperdícios 

O encontro também teve o foco voltado para o processo de redução de desperdícios na cadeia de produção industrial. O mestre em engenharia de processos e consultor especialista na aplicação do Lean Manufacturing, Luis de Souza, explicou como aplicar o sistema de gestão que busca aumentar a eficiência e a produtividade reduzindo erros e redundâncias na produção industrial. 

A filosofia japonesa Lean Manufacturing, é incorporada na rotina produtiva das empresas complementando os avanços da indústria 4.0. Atualmente, as técnicas da manufatura enxuta estão entre as melhores práticas de gestão de operações aplicadas em sistemas produtivos, sendo determinantes para a competitividade da indústria. 

Para auxiliar as empresas e os profissionais interessados em fazer uso da filosofia o SENAI lança cursos rápidos sobre assunto, com técnicas para aperfeiçoamento, comparativo dos sistemas tradicional e enxuto e consultoria Lean. “São técnicas que a indústria pode utilizar para melhorar o processo da indústria, capacitar as pessoas para que elas enxerguem os desperdícios que afetam a produtividade e prejudicam o atingimento das metas no processo produtivo. Boa parte das empresas já têm máquinas e equipamentos adaptados, por isso é preciso olhar o processo e capacitar as pessoas para que elas possam melhorar”, finaliza o consultor. 

Texto e fotos: Lizzi Borges |Catarinas comunicação/HubSC 

Post Relacionado